Artista gaúcha dá forma ao som com técnica que mistura tinta e fotografia

Natural de Farroupilha, Andrea Laybauer irá expôr em Nova York.
Vencedora de bienal na Itália, ela usa técnicas de macrofotografia.

O som ganha forma na obra da artista gaúcha Andrea Laybauer, de 31 anos. A fotógrafa natural de Farroupilha e radicada em São Paulo há oito anos irá expor suas obras no próximo mês na Amsterdam Whitney Gallery, em Nova York. Com cunho artístico, esculturas de som são formadas a partir de gotas de tinta impactadas pelo volume de músicas, que ecoam de alto-falantes.

Obra mostra movimento de gotas com música de Elis Regina, 'Águas de Março' (Foto: Andrea Laybauer)
Obra mostra movimento de gotas com música de Elis Regina, ‘Águas de Março’
(Foto: Andrea Laybauer/Arquivo pessoal)

A viagem visual proposta pela artista é, segundo ela, a única forma de ver o som. “As gotas de tinta são colocadas em cima da caixa de som e, conforme a vibração da onda sonora, são jogadas para cima.

Com formas que vão de gotas a gráficos, as canções se mostram ao olho nu e se transformam em quase objetos físicos. A trilha sonora foi escolhida a dedo: quanto mais grave, mais intensas ficam as imagens. Andrea conta que um amigo sugeriu que o projeto fosse apresentado a surdos. “É a única maneira de transformar o som em matéria. Como a música seria se pudesse ser vista”, salientou.

Em 2013, a artista expôs no metrô da capital paulista. A técnica utilizada na série que tinha cunho social e de conscientização mostrava gotas de água refletindo objetos. “Tudo começou com as gotas em 2009. Comecei a pesquisar o que poderia fazer com o equipamento que eu tinha. Aí, eu vi a torneira da minha casa pingando e pensei se conseguiria fazer foto da gota”, relembrou.

“Nessa série, percebi duas coisas: uma que o formato da água não era possível ser visto a olho nu. Era um mundo a ser revelado. E depois, que a gota refletia o que estava atrás. Dava para brincar com textura, imagens, daria para brincar com cores”, completou. O projeto foi usado para chamar atenção dos paulistas sobre o consumo e o racionamento de água.

Cores se fundem quando expostas à potência de alto-falantes (Foto: Andrea Laybauer)
Cores se fundem quando expostas à potência de alto-falantes
(Foto: Andrea Laybauer/Arquivo pessoal)

Vencedora de uma bienal de arte em Firenze, na Itália, em 2011, a jovem foi convidada a expôr na cidade norte-americana neste ano com a obra de macrofotografia. Conforme a artista, as maiores oportunidades ainda são fora do país.

“Minha família toda é do Rio Grande do Sul e estou sempre lá. Vim para São Paulo nessa busca por algo que ninguém havia feito. Infelizmente, no Brasil, as oportunidades ainda são poucas”, pontuou.

Fonte: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2014/09/artista-gaucha-da-forma-ao-som-com-tecnica-que-mistura-tinta-e-fotografia.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s